O Banco Central apresentou nesta quarta-feira (2) a nova cédula de R$ 200, que passa a ter valor legal imediatamente e começa a circular conforme a demanda. Ao todo, serão disponibilizadas 450 milhões de unidades da nota até o fim do ano. Para o presidente do BC, Roberto Campos Neto, a introdução da nova cédula era fundamental para evitar um eventual desabastecimento do papel-moeda frente ao aumento da demanda por dinheiro em espécie desde o início da pandemia do novo coronavírus. “O momento singular que estamos vivendo trouxe os mais diversos desafios, e um deles foi um aumento expressivo na demanda da sociedade brasileira por dinheiro em espécie. O aumento foi verificado no Brasil desde o início da pandemia, mas não foi exclusividade do nosso país. Outras nações viveram fenômeno semelhante. Em momentos de incerteza, é natural que as pessoas busquem a garantia de uma reserva em dinheiro”, afirmou, durante o discurso de lançamento do novo modelo. A cédula de R$ 200 traz cores cinza e sépia predominantes e homenageia o lobo-guará, animal típico da fauna do cerrado brasileiro, e atualmente ameaçado de extinção. A nota tem o mesmo formato e dimensões da cédula de R$ 20 (14,2cm x 6,5cm). A decisão de manter o formato, segundo o BC, é para melhor adaptação aos caixas eletrônicos e demais equipamentos automáticos que aceitam e fornecem cédulas de dinheiro. “O Banco Central tem atuado durante todos estes meses e tem conseguido fornecer cédulas e moedas de modo a atender às necessidades da sociedade de forma adequada. Ainda assim, como estamos vivendo um momento sem precedentes na história, não há como prever se essa demanda por dinheiro em espécie continuará aumentando, e por quanto tempo. Esse momento, com essas necessidades, se mostrou oportuno para o lançamento de uma cédula de maior valor, cujo pré-projeto já existia desde o lançamento da segunda família de cédulas, em 2010”, acrescentou Campos Neto. Ao também justificar a necessidade da nova cédula, a diretora de administração do BC, Carolina de Assis Barros, explicou que a estimativa de papel-moeda projetada pelo Banco Central tornaria inviável a reposição com a impressão de novas notas de R$ 100. Segundo ela, os cálculos do BC, em análise conservadora, estimavam a necessidade de um adicional de R$ 105,9 bilhões, em valor financeiro, que precisaria ser gerado em um espaço de cinco meses. Isso sem contar as encomendas de novas cédulas e moedas previstas para o ano, da ordem de R$ 64 bilhões, também em valor financeiro. “A Casa da Moeda do Brasil possui um parque fabril dimensionado para as necessidades brasileiras conforme o padrão histórico verificado até aqui. No entanto, a fim de gerar maior volume financeiro em menor espaço de tempo, imprimir cédulas de R$ 100 não seria uma alternativa factível, pois a capacidade de produção da referida denominação em 2020 já estava integralmente adquirida”, explicou a diretora. Características A cédula de R$ 200 é impressa em papel fiduciário, que tem uma textura mais firme e áspera que o papel comum. Pelo tato, é possível sentir um alto-relevo em algumas áreas da nota, como nas legendas “Banco Central do Brasil” e “República Federativa do Brasil”, nos numerais impressos na frente e no verso, na faixa vertical de folhas, nas flores e no fruto, na efígie da República (frente) e no lobo-guará (verso). Sob luz ultravioleta, é possível enxergar o número 200 na frente e a numeração vermelha do verso aparece na cor amarela. Além disso, pequenos fios coloridos se tornam visíveis. Ao colocar a nota na altura dos olhos, na posição horizontal, é possível ver o número 200 sob o desenho de um arbusto, no canto direito inferior da cédula, em sua face frontal. A marca-d’água da nova cédula permite visualizar, se colocada contra a luz, a figura de um lobo-guará e o número 200, em tons que variam do claro ao escuro. Também ao posicionar a cédula contra a luz, o fio de segurança fica visível, próximo ao meio da nota. A partir de hoje e até o final de setembro, o governo federal vai veicular uma campanha publicitária de apresentação da nova cédula de R$ 200 nos meios de comunicação e na internet.clique aqui

 

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse nesta quarta-feira (2) que a pasta vai continuar a incentivar a população a se vacinar como forma de evitar o retorno de doenças eliminadas, mas que a vacinação “não é obrigatória” no país. A declaração ocorre um dia após a Secretaria de Comunicação do governo federal replicar, em publicação nas redes sociais, uma frase do presidente Jair Bolsonaro dizendo que “ninguém pode obrigar ninguém a tomar vacina” -o que gerou críticas de especialistas em saúde, que apontam riscos à vacinação no país. “Como viemos fazendo e assim continuaremos, incentivaremos a vacina para imunização da população, caso contrário poderemos ter o risco da volta de doenças que já haviam sido erradicadas no país, como ocorreu com o sarampo recentemente”, afirmou. “Mas lembramos também que a vacina não é obrigatória, mas um grande instrumento para que voltemos à nossa normalidade dentro da sociedade e capacidade produtiva”, informou. Embora a pasta afirme que a vacinação não é obrigatória, leis nacionais apontam o oposto. O parágrafo primeiro do artigo 14 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) diz que “é obrigatória a vacinação das crianças nos casos recomendados pelas autoridades sanitárias”. Além disso, o artigo 3º da Lei 13.979, assinada pelo próprio presidente Bolsonaro em fevereiro, diz que “para enfrentamento da emergência de saúde pública […], as autoridades poderão adotar, no âmbito de suas competências, a determinação de realização compulsória de vacinação ou outras medidas profiláticas”.blog

 

O Governo Federal publicou nesta quarta-feira, 2, uma nova medida provisória para o setor elétrico. Dessa vez, um dos principais objetivos é reduzir o impacto dos reajustes tarifários para Estados das regiões Norte e Nordeste, onde atuavam ex-distribuidoras da Eletrobrás que foram privatizadas em 2018. O texto da Medida Provisória 998/2020, no entanto, é muito mais amplo e contém 18 páginas que tratam de temas caros ao governo, que vão do fim do subsídios para fontes alternativas (eólica e solar) a condições para viabilizar a retomada da usina nuclear de Angra 3. Depois de socorrer as distribuidoras com um empréstimo bilionário de quase R$ 15 bilhões, cujos custos serão suportados por consumidores e empresas, o governo propôs uma compensação. A MP estabelece que a verba já paga e não utilizada em projetos de Pesquisa & Desenvolvimento e Eficiência Energética seja direcionada para abater parte dos custos da conta-Covid. O Ministério de Minas e Energia (MME) estima que há R$ 3,4 bilhões represados no caixa das empresas. Além disso, 70% da verba futura anual destinada a esses programas também vai ajudar a custear o socorro até 2025, um valor que pode atingir R$ 4,305 bilhões. Uma outra proposta da MP pretende estancar o crescimento dos subsídios para fontes alternativas, um tema sensível no setor elétrico. Para se ter uma ideia, os subsídios para geradores e consumidores de fontes incentivadas avançaram de R$ 900 milhões em 2013 para R$ 3,5 bilhões em 2019. A estimativa para este ano é ainda maior: R$ 5 bilhões. Hoje, o gerador de energia elétrica a partir de fontes alternativas e seus consumidores livres têm direito a pagar 50% menos nas tarifas de uso das redes de transmissão e distribuição. O subsídio foi concedido por lei, em 2004, para viabilizar as fontes renováveis, que eram mais caras e não conseguiam competir com outras. Com o desconto, o preço da energia ficava atrativo para compradores. Mas, ao longo dos anos, essas fontes ganharam escala, e a avaliação do governo é a de que elas não precisam mais desse subsídio. A MP afirma que o preço deverá contemplar “cumulativamente, a viabilidade econômico-financeira do empreendimento e seu financiamento em condições de mercado, observados os princípios da razoabilidade e da modicidade tarifária”.como fazer um blog

O padre Gleiber Dantas, pároco de Florânia, estará no programa É De Casa, da Rede Globo, no próximo sábado,05. Foi ele próprio quem confirmou ao #BlogGláuciaLima e disse, via chamada de vídeo, que depois de passar pela Rede Globo vai bater uma prosa comigo em Live pra contar da emoção de aparecer em nível nacional. Aproveitei para perguntar como Carlinhos, seu auxiliar que segura a lasanha e outras prendas do leilão, está lidando com a fama. Ele disse que muito bem e tem recebido muitas mensagens.como abrir uma loja virtual

O Hospital Universitário Onofre Lopes, vinculado à Universidade Federal do Rio Grande do Norte e à Rede Hospitalar Ebserh (Huol-UFRN/Ebserh), retornou parcialmente os atendimentos que haviam sido suspensos em decorrência da Covid-19, desde o dia 1º de setembro. No entanto, OS PACIENTES NÃO DEVEM COMPARECER ESPONTANEAMENTE AO HOSPITAL, pois a instituição entrará em contato comunicando datas e horários da assistência. A pandemia não acabou, portanto, o retorno ocorrerá de forma parcial e gradual, primeiramente objetivando executar os agendamentos pendentes, começando pelas especialidades que demandam prioridade: cardiovascular, oncologia, neurocirurgia, neurologia, oftalmologia para casos graves, otorrino no tratamento de lesões pré-malignas, urologia, cirurgia geral e cirurgia de aparelho digestivo e transplantes. O Huol segue com um andar bloqueado para tratamento dos pacientes internos que apresentam a Covid-19 e outro ocupado pelo Hospital Giselda Trigueiro. Neste cenário, mais de 200 profissionais estão afastados por vulnerabilidade e o ambulatório está em reforma para recuperação estrutural, conforme publicamente divulgado antes do início da crise sanitária.loja virtual gratis

A cidade de Natal registrou um total de 49 mortes por arboviroses, doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypti, até novembro deste ano. Os dados são do Boletim Epidemiológico das Arboviroses, emitido pelo Centro de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde. Entre os óbitos notificados, a maioria foi em decorrência da dengue: 30 casos. Dos 19 restantes, 17 foram por chikungunya e 2 por zika. Foram 35 mortes a mais que o ano passado, quando foram registradas 14, todas por dengue. Segundo o relatório, entre janeiro e dezembro deste ano, foram relatados 24.410 casos de arboviroses, um valor 74,19% maior do que o mesmo período de 2018, quando o número ficou em 14.013. Chikungunya O crescimento mais exorbitante está como criar uma loja virtual nas ocorrências de chikungunya, que tiveram um aumento de 2016,87%, passando de 409 casos em 2018 para 8.249 casos em 2019. Outra variação observada foi nas zonas de concentração das doenças. Enquanto em 2018, a maior parte dos casos das três arboviroses se concentravam na zona Norte, principalmente no bairro Nossa Senhora da Apresentação, em 2019 o problema está mais polarizado. Dengue De acordo com o relatório, a maior quantidade de casos de dengue foi registrada na zona Sul (5.200), com foco para o bairro do Planalto (1.717). Zika Já em relação à zika, maioria foi na zona Norte (238), com mais incidências em Potengi (72). Para a chikungunya, o foco foi na zona Leste (3.084), especialmente no bairro das Rocas (757).

Quase metade da população (45%) leva em consideração informações vistas em alguma rede social na hora de escolher em quem votar. É o que concluiu pesquisa nacional do DataSenado (órgão ligado ao Congresso) com 2.400 eleitores de todos os Estados do país. Eis a íntegra do estudo.

As plataformas mais citadas por aqueles que admitem levar em conta o que leem nas redes sociais antes de votar foram o Facebook (31%) e o WhatsApp (29%).

Mostraram-se mais suscetíveis a decidir o voto com base em postagens nas redes sociais os grupos de pessoas que se consideram de direita, os mais jovens, pessoas com escolaridade mais alta e pessoas com renda familiar mais elevada.

A maior parte dos entrevistados (83%) acha que o conteúdo das redes sociais influencia muito a opinião das pessoas. Outros 15% consideram que esse material influencia pouco e apenas 2% acham que não influencia em nada.

Fake news

A pesquisa também avaliou a percepção da população a respeito de notícias falsas. Aproximadamente 8 em cada 10 entrevistados disseram já ter identificado notícias falsas em rede social. Uma parcela expressiva dos entrevistados (82%) afirmou verificar se uma notícia é verdadeira antes de compartilhá-la.

O percentual de pessoas que afirmaram verificar se uma notícia é verdadeira antes de compartilhá-la é menor entre os entrevistados com nível de escolaridade mais baixo.

O estudo indica que 47% das pessoas consideram difícil identificar notícias falsas na internet. Já 3 em cada 4 entrevistados (77%) consideram que notícias falsas têm mais visibilidade do que notícias verdadeiras nas redes sociais. Além disso, 62% dos entrevistados discordam que informações publicadas em redes sociais são mais confiáveis do que informações publicadas na mídia tradicional.

Quase todos os entrevistados (96%) disseram defender punição a quem compartilha conteúdo falso na internet. A maioria dos entrevistados (69%) também disse acreditar que quem criou o conteúdo falso deve ser punido. Além disso, para 68% dos entrevistados, a rede social deve ser penalizada por permitir esses conteúdos.

 
Rádio Timbaúda FM é um dos principais veículos de comunicação de Santana do Matos, nesta sexta-feira (13), realizou sua confraternização de final de ano.
Timbaúba FM a rádio que possui uma ampla sintonia na nossa região, assim como também disponibiliza seus programas via internet, proporcionando aos seus ouvintes uma programação de qualidade.
A pioneira emissora comunitária da região central do estado faz parte da história do município. A rádio vem prestando com muito profissionalismo e dedicação relevantes serviços a população de Santana do Matos e região, com diversos programas. E este ano de 2019 não foi diferente, sempre buscando o melhor para levar a você ouvinte, os melhores serviços.
E para fechar o ano, premiando o ano e se preparando para a chegada do próximo, o diretor da Rádio Timbaúba FM, Francisco Helio, juntamente com o Dr. Cipriano Correia (que presenteou Santana do Matos a 20 anos com esse meio de comunicação), proporcionaram um jantar com todos os funcionários da emissora
Que o ano de 2020 seja de paz, saúde e sucesso pra todos nós!

O atacante Neymar voltou a processar o Barcelona e, desta vez, exige do clube espanhol um pagamento de 3,5 milhões de euros (R$ 16 milhões) pelo último mês que atuou com a camisa azul grená antes de se transferir para o Paris Saint-Germain.

A notícia do processo foi divulgada inicialmente pelo El Mundo. Segundo o jornal espanhol, a ação diz que o clube catalão não pagou parte do salário do brasileiro quando ele foi negociado com o PSG em agosto de 2017.

No processo, os advogados de Neymar acusam o Barcelona de atuar com “absoluta má-fé” e de retaliá-lo por assinar contrato com a equipe francesa, que na época pagou a multa rescisória do jogador.

O pai do craque brasileiro confirmou o processo em entrevista a um programa da rádio espanhola Cadena Ser. Segundo ele, trata-se de uma ação relativa ao imbróglio que marcou a saída de Neymar do Barcelona.

“É uma coisa que passou, mais cedo ou mais tarde haverá um acordo”, explicou.

Questionado se seu filho voltará a jogar com a camisa do clube catalão, Neymar pai afirmou, entre risos, que o atacante brasileiro “tem contrato com o PSG”.

Após dois dias de greve, empregados da Petrobras decidiram suspender a paralisação na manhã desta quarta-feira, 27. O plano era permanecer de braços cruzados até a próxima sexta-feira (29) mas a categoria se viu obrigada a repensar a estratégia diante da decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de bloquear contas e suspender o repasse de mensalidades pagas pelos funcionários da estatal para sustentar a ação dos sindicatos.

A discussão pela permanência ou suspensão da paralisação entre a Federação Única dos Petroleiros (FUP) e 11 sindicatos associados se estendeu por toda noite de terça-feira, 26. Na manhã desta quarta-feira, a federação, por meio da assessoria de imprensa, informou o fim da greve. O protesto foi contra medidas da gestão da empresa, que consideram descumprimento do acordo coletivo, como demissões em massa decorrentes do programa de demissão voluntária e privatização de subsidiárias, insegurança nas plataformas por conta da redução das equipes e também o alinhamento dos preços dos combustíveis ao mercado internacional e dólar.

“As decisões do TST reforçaram o potencial dos petroleiros, que se mobilizaram e garantiram o abastecimento dos combustíveis, que foram para as ruas em ações sociais. Nossa mobilização mostrou que o ministro da Economia, Paulo Guedes, desconhece a legislação brasileira que dá direito de greve a todos os trabalhadores do País e desconhece a real situação da Petrobras, que vem sofrendo com corte de pessoal e com a venda de ativos”, afirma, em nota, o coordenador da FUP, José Maria Rangel. Ele faz referência à afirmação do ministro, nos Estados Unidos, de que, se fossem de empresa privada da qual fosse presidente, os grevistas estariam demitidos.

Segundo a entidade sindical, 26 mil trabalhadores foram envolvidos na mobilização. Já a Petrobras, nesses dois dias de paralisação, não se manifestou sobre o tamanho da greve e seus efeitos na operação. Toda comunicação partiu exclusivamente pelo TST, em comunicados sobre penalidades definidas caso parcela dos empregados insistissem em se manter de braços cruzados.

Na tentativa de envolver o maior número de trabalhadores e mobilizar a sociedade para as suas causas, os petroleiros organizam, desde segunda-feira, 25, “ações solidárias”, como de doações de sangue nas cidades do Rio de Janeiro, Recife, São Paulo e Curitiba. Na terça, foram distribuídas mil cestas básicas a demitidos da estatal. E, nesta quarta serão vendidos 200 botijões de gás a baixo custo no município de Campos dos Goytacazes, no Rio, uma das cidades mais marcadas pela atuação da estatal, por conta da Bacia de Campos.

No comunicado de suspensão da greve, a FUP classifica o movimento como positivo, apesar de ter ocorrido em apenas dois dos cinco dias programados. “Além de garantir a produção de petróleo e o abastecimento de combustíveis para a população – compromisso assumido e cumprido pelos trabalhadores do setor de petróleo -, o movimento conseguiu chamar a atenção da sociedade” diz a nota.

O salário mínimo para o próximo ano ficará em R$ 1.031, anunciou no fim da tarde desta terça-feira (26) o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. O valor representa redução de R$ 8 em relação ao projeto de lei do Orçamento Geral da União do próximo ano, que previa mínimo de R$ 1.039 para o próximo ano.  O novo valor do mínimo consta de mensagem modificativa do Orçamento de 2020 enviada nesta terça (26) pelo governo ao Congresso Nacional. Segundo Rodrigues, a queda da projeção se justifica pela redução das estimativas da inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) para o próximo ano.  A mensagem modificativa reduziu para 3,5% a estimativa para o INPC em 2020, meio ponto percentual a menos que a projeção de 4% que constava no projeto de lei do Orçamento. A previsão do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado como índice oficial de inflação, caiu de 3,9% para 3,5%.  A estimativa de crescimento para a economia, em contrapartida, aumentou de 2,17% para 2,32%. A estimativa para a cotação média do dólar no próximo ano aumentou de R$ 3,80 para R$ 4.  Ao anunciar a revisão das estimativas, Rodrigues destacou que a nova política para o salário mínimo só será decidida nas próximas semanas pelo presidente Jair Bolsonaro. O secretário de Fazenda, no entanto, diz que o valor servirá de referência para o Palácio do Planalto.

Um caminhoneiro foi executado por vários tiros de armas de fogo, na noite desta terça feira 26 de novembro na cidade de Passa e Fica-RN.Segundo informações de populares, o homem que foi morto a tiros pelos bandidos era conhecido na cidade por Sergio José Francelino da Mota de 38 anos de idade. A causa do crime segundo relatos foi um assalto onde tentaram levar o celular da vitima, quando ele se negou a entregar o aparelho e tentou fugir do local sendo alcançado pelos meliantes e foi alvejado por mais de 20 tiros morrendo no local no meio da Rua. A policia esteve no local e constatou o crime, e em seguida acionou a equipe do ITEP para a remoção do corpo realizar a pericia técnica.

O Governo do Rio Grande do Norte enviou na última segunda-feira (15) o projeto de lei que isenta os proprietários de motocicletas para ter sido votado no ultimo dia (16) na Assembleia Legislativa, mas o deputado estadual Kelps Lima (SDD) pediu vista no projeto. Segundo ele, se faz necessário uma leitura mais apurada sobre o projeto. A proposta foi apresentada, no mês de fevereiro durante reunião com os deputados George Soares (PR), Nelter Queiroz (MDB), Dr. Bernardo (Avante) e Raimundo Fernandes (PSDB). “Estamos viabilizando um programa de regularização das motocicletas na capital e principalmente no interior do estado. A ideia é que possamos oportunizar um mutirão para que os proprietários legalizem seus veículos e garantam mais segurança, para si e para a população”, afirmou a governadora Fátima Bezerra. Ela destacou ainda que em paralelo ao programa será realizada uma campanha para promover a educação no trânsito, a fim de dar mais segurança a pilotos e pedestres, como também mostrando a importância da regularização perante o fisco e o órgão de trânsito. No Rio Grande do Norte, a frota atual é de 440.919 motocicletas, das quais quase 40% registradas no interior. A regularização dá segurança aos condutores na hora de um acidente. O seguro DPVAT paga até R$ 2.700,00 para cobertura de despesas médicas em razão do sinistro, R$ 13.500,00 por morte e até R$ 13.500,00 em caso de invalidez permanente. Carlos Eduardo Xavier, secretário de Estado da Tributação, explicou que a iniciativa prevê que o proprietário pague as tarifas do Detran e o IPVA de 2019 para que haja remissão dos débitos de anos anteriores. “O programa visa a legalização do veículo, mas também terá impacto direto no trânsito, na segurança e na arrecadação fiscal”, completou.

No final da tarde e inicio da noite dessa quarta-feira,(17/04), voltou a chover em comunidades aqui de Santana do Matos, alguns rios chegaram a ficarem com bastante agua como e o caso do rio São Miguel, (na foto), um dos principais rios que leva agua ao Açude Pedra, reservatório responsável pelo abastecimento da cidade de Santana do Matos.

  • 1
  • 2